Índia lidera desvalorização entre os emergentes

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

O Brasil não consegue ser o destaque negativo entre os países emergentes, após a queda generalizada de suas moedas frente ao dólar e euro. A Índia é a líder mundial na perda de valor de sua moeda, a rúpia, com 20% de recuo desde o início do ataque especulativo em junho. A queda é, no entanto, algo como 33% se as cotações de 2010/11 são utilizadas na comparação. É uma “maxidesvalorização” da rúpia, como se costumava dizer das abruptas perdas de valor da moeda em países subdesenvolvidos. O impacto sobre expectativas é enorme entre os gerentes de compras do setor manufatureiro, cujo nível de confiança recuou ao grau de desalento de março de 2009, no auge da recessão.

O efeito inflacionário da queda da rúpia sobre os custos ameaça a economia indiana, sobretudo pelas importações de petróleo. É esperado um ajuste doloroso dos preços do combustível. O cenário indiano não difere do brasileiro. Contudo, a saída indiana da crise, via exportações, se dará pela porta dos manufaturados. No Brasil, ainda contamos com a vantagem nas exportações de commodities. O agronegócio continua bancando a renda salarial do Brasil urbano. Na Índia, a competição com manufaturados de terceiros países vai requerer dos exportadores indianos maiores sacrifícios de margens. Os ganhos na indústria continuarão espremidos, pois boa parte dos insumos industriais provém da China e até de países desenvolvidos. Analistas já começam a cortar para 4% suas projeções do PIB indiano para este ano e o próximo, ainda alto para o padrão brasileiro, mas cerca de metade do que foi na euforia daquela economia de mais de 1 bilhão de pessoas.

Ed.264

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…