Indicadores de inadimplência mantêm trajetória de 2014

Os resultados do primeiro bimestre dos indicadores de Registro de Inadimplentes e Recuperação de Crédito da Boa Vista SCPC mostram que o comportamento da inadimplência no início de 2015 pouco se modificou quando comparado a 2014. Ou seja, os registros continuam em crescimento lento enquanto a recuperação mantém trajetória de queda.

Na análise dos registros de inadimplentes, houve elevação de 3,3% no primeiro bimestre de 2015 (frente ao mesmo período de 2014). Esta tendência foi observada ao longo de todo o ano de 2014 e nossa expectativa é que o indicador mantenha-se neste patamar, encerrando o ano com crescimento de 3,2%. Já para o indicador de recuperação de crédito, observamos intensificação do ritmo de queda. Enquanto a variação para o bimestre foi de -5,2%, a tendência de longo prazo, avaliada pela variação acumulada em 12 meses, atingiu o nível mais baixo desde o início da série, de -4,2%, iniciada em janeiro de 2005.

Mesmo com elevação dos registros de inadimplentes no período, a desaceleração do crédito e da própria atividade econômica são fatores que devem reverter a tendência do fluxo de pagamentos de dívidas.

Apesar de contemplarmos maior deterioração em nosso cenário macroeconômico – em especial no mercado de trabalho – os fundamentos do mercado de crédito ainda permanecem em bons níveis. Tanto por parte do consumidor quanto por parte das empresas concedentes de crédito, tem se observado cautela nas transações, fator evidenciado, por exemplo, nas quedas do número de atrasos registrados no sistema financeiro nos últimos meses. Com este cenário em mente, isto é, a estabilidade nos registros de inadimplência e reversão do indicador de exclusão de dívidas, esperamos que a taxa de inadimplência do Banco Central (recursos livres para o consumidor) situe-se em torno de 5,8% até o final do ano.

Comentários

comentários