Indicadores revelam queda de confiança nos serviços e no comércio

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Hoje a Fundação Getúlio Vargas divulgou o Índice de Confiança de Serviços no mês de novembro. O indicador recuou 2,1%, de 101,9 pontos no mês passado para 99,8 pontos. É o nível mais baixo da série histórica da pesquisa, iniciada em 2008. Na comparação com o mesmo período de 2013, houve queda de 14,3%. O resultado negativo foi determinado tanto pelas avaliações sobre o presente quanto pelas expectativas sobre o futuro. A avaliação negativa da situação atual atingiu dez dos 12 segmentos pesquisados. A piora das expectativas sobre o futuro foi menos disseminada, atingindo seis dos 12 segmentos.

A FGV também divulgou o Índice de Confiança do Comércio. O indicador caiu 1% em novembro na comparação com outubro e foi o segundo menor patamar da série histórica, iniciada em março de 2010. A queda foi provocada pela piora da confiança do empresário do comércio em relação ao futuro. A principal desconfiança dos empresários é em relação à situação de seus negócios nos próximos seis meses, componente que recuou 3,5%. De fato, a confiança do consumidor em patamar reduzido, atrelada ao elevado endividamento das famílias e à deterioração das perspectivas de reativação da economia, sugere que a retomada mais firme das vendas está ainda distante. Em 2014, o volume de vendas do comércio varejista deve crescer apenas 2,5%, o menor desde o recuo de 3,7% em 2003. Para 2015, a RC Consultores projeta que este ritmo de crescimento mais baixo deverá se repetir.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,79% em agosto

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 1,79% em agosto, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,34 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente a julho (quando o nível foi de 1,90%),…

Para 46% dos consumidores, o Cadastro Positivo tem como principal benefício auxiliar na obtenção de crédito e contratação de financiamentos

Em pesquisa inédita com consumidores de todo o Brasil, a Boa Vista SCPC identificou que para 46% dos entrevistados, o Cadastro Positivo tem como principal objetivo auxiliar na obtenção de crédito e na contratação de financiamentos. Outros 26% acreditam que o banco de dados com informações positivas sobre consumidores classifica de forma mais assertiva e…

Movimento do Comércio sobe 2,2% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 2,2% em agosto quando comparado a julho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (setembro de 2016…