Indústria da construção deve ter crescimento modesto

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Dados do Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro apontam que o valor geral de vendas – VGV – da região metropolitana de São Paulo, que responde por 37% dos lançamentos imobiliários do Brasil, foi de R$ 33,3 bilhões em 2013, aumento de 17% em relação a 2012. No entanto, 2014 não promete repetir o resultado do ano anterior. Os lançamentos na região metropolitana de São Paulo no primeiro trimestre do ano recuaram 26% e as vendas caíram 45%.

As sondagens junto aos empresários da construção mostram expectativas declinantes em relação ao desempenho atual e futuro do setor. Dados do consumo de cimento apontam taxas menores de crescimento. Os dois segmentos da construção, a indústria imobiliária e as obras de infraestrutura, não sinalizam sinais de melhora no curto e médio prazos. Na indústria imobiliária registra-se uma queda na demanda, mesmo com um crescimento de 24% do crédito imobiliário no primeiro trimestre do ano. O ritmo de financiamento deve diminuir, fechando o ano com crescimento em torno de 15%. Também os investimentos públicos na área foram reduzidos. No início do ano o governo federal chegou a atrasar pagamentos às construtoras para edificar as unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida. No segmento de obras de infraestrutura não se esperam grandes investimentos em obras públicas em 2015. O PIB da construção civil este ano deverá crescer entre 1% e 2% segundo previsão do Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo.

Comentários

comentários