Indústria fecha 83 mil vagas em março

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A taxa de desemprego subiu para 5,7% em março. Mesmo assim, o resultado foi o melhor para o mês desde 2002. Segundo o IBGE a variação média de pessoas ocupadas nas seis regiões pesquisadas recuou 0,2%.  São Paulo, que responde por 40% da pesquisa, ficou acima da média, com queda de 1,3%, devido, principalmente, a 93 mil  trabalhadores dispensados na indústria. Só em São Paulo o número de vagas na indústria encolheu 4,8%.

O desemprego se mantém em nível baixo no país. A recuperação frágil da economia tem tido pouco impacto sobre o mercado de trabalho, que ajuda a manter a pressão sobre os preços e sobre os custos, em especial da indústria. Isso se deve porque o setor de serviço é que tem balizado por cima o preço da mão de obra. Essa propagação de custos aos outros setores da economia deve permanecer. Como tudo é relativo, enquanto discutimos aqui o aumento do desemprego de 5,6% para 5,7%, do outro lado do Atlântico a taxa de desemprego atingiu 27,2% na Espanha e 10,2% na França. Tamanha diferença não deve durar para sempre.

Ed.173

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…