Indústria recua novamente em abril

Por Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

A produção industrial recuou 0,3% em abril frente a março na série livre de influências sazonais. Em relação a igual mês de 2013, houve queda de 5,8%, o maior declínio desde setembro de 2009. Neste ano o setor já acumula queda de 1,2% frente ao primeiro quadrimestre do ano passado. Outro indicador que demonstra a desaceleração da indústria é o crescimento acumulado nos últimos 12 meses, cuja variação em abril atingiu apenas 0,8%, contra 2,1% registrado em março.

O segmento que mais tem sofrido é o de Bens de Capital. Após o segmento apresentar sensível crescimento em 2013, este ano já acumula retração de 4,8%. As incertezas que rondam a economia em ano eleitoral contribuíram para que o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), medido pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), recuasse em maio para 48 pontos. Este é o menor nível desde janeiro 2009. O maior pessimismo já se refletiu nos investimentos, que segundo o IBGE recuaram 2,1% no primeiro trimestre. Os demais segmentos também têm sofrido, principalmente os eletro intensivos, que com o aumento da tarifa de energia tiveram severas dificuldades de manter a produção. Apesar da perda de ímpeto das importações, as vendas externas não conseguem decolar em meio a um mercado cada vez mais competitivo. Sem uma agenda politica industrial ampla que atue efetivamente no cerne do problema, o cenário para o setor será cada vez mais desafiador, não só em 2014.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…