Inflação longe do centro da meta

Por Thiago Custodio Biscuola, da RC Consultores

O IPCA de dezembro avançou 0,92%, segundo dados divulgados pelo IBGE. O resultado é a maior alta mensal desde abril de 2003. Com o resultado a inflação em 2013 ficou em 5,91%, acima do observado no ano anterior (+ 5,84%). Desde 2009, ano da crise financeira global, a variação do índice se sustenta acima do centro da meta, que é de 4,5%. Neste ano destacou-se a elevada inflação dos preços livres (+ 7,30%), enquanto os monitorados, apesar da forte alta em dezembro, registraram elevação de apenas 1,52%.

Questões estruturais continuam dificultando o arrefecimento da pressão sobre os preços. O mercado de trabalho ainda aquecido contribuiu para que a inflação de serviços alcançasse 8,74% no ano passado. Dentre os itens livres, alimentos e bebidas, apesar da queda ao longo do segundo semestre, continuaram pressionando o índice, encerrando o ano com alta de 8,48%. Demais bens, principalmente os importados, tiveram um impulso extra com a desvalorização do Real no segundo semestre. Os preços monitorados, por sua vez, tiveram papel preponderante para que a inflação não atingisse o teto da meta, principalmente influenciados pela revogação do aumento das tarifas de ônibus e o represamento do preço dos combustíveis até o final do ano. Para 2014, a perspectiva de um afrouxamento da política fiscal com advento das eleições, um Real mais fraco e a necessidade de diminuir a contenção dos preços monitorados fará com que a inflação, novamente, permaneça com ameaça de romper o teto da meta.

Ed.343

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…