Inflação permanece pressionada

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A inflação (IPCA) de maio de 2014 recuou para 0,46%, acumulando alta de 6,38% a.a. em 12 meses, próximo ao teto de 6,5% a.a. estipulado pelo Banco Central. Embora tenha recuado em comparação aos meses anteriores, a inflação de maio ainda é elevada. Em 2012 e 2013 a variação dos preços no mesmo mês foi de 0,36% e 0,37%, respectivamente. Os responsáveis pela redução da inflação em maio de 2014 foram os alimentos em domicílio, refletindo as recentes quedas dos preços no atacado, o recuo das passagens aéreas e do etanol, e também a forte queda das taxas de água e esgoto, em função do bônus implementado pelo governo paulista para os consumidores que pouparem água na região metropolitana de São Paulo.

O resultado de maio não reduz a pressão sobre a inflação no Brasil, apenas dá mais tempo para respirar. Em junho, a inflação deverá romper o teto de 6,5% a.a. (no acumulado em 12 meses). Por características sazonais, o IPCA tende a recuar nos meses de maio, junho e julho, para enfim subir nos últimos meses do ano. Nos primeiros cinco meses de 2014 a inflação já alcança 3,33%, contra “apenas” 2,88% de 2013. É bom relembrar que a inflação no ano passado foi de 5,91% a.a. Desta forma, estamos caminhando para uma inflação ainda mais elevada neste ano (a RC Consultores espera alta de 6,3%). E a pressão pode ser ainda maior em 2015, com o início dos repasses dos preços represados pelo Governo, e que agora conta com um novo integrante, taxa de água e esgoto.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…