Inflação permanece pressionada

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A inflação (IPCA) de maio de 2014 recuou para 0,46%, acumulando alta de 6,38% a.a. em 12 meses, próximo ao teto de 6,5% a.a. estipulado pelo Banco Central. Embora tenha recuado em comparação aos meses anteriores, a inflação de maio ainda é elevada. Em 2012 e 2013 a variação dos preços no mesmo mês foi de 0,36% e 0,37%, respectivamente. Os responsáveis pela redução da inflação em maio de 2014 foram os alimentos em domicílio, refletindo as recentes quedas dos preços no atacado, o recuo das passagens aéreas e do etanol, e também a forte queda das taxas de água e esgoto, em função do bônus implementado pelo governo paulista para os consumidores que pouparem água na região metropolitana de São Paulo.

O resultado de maio não reduz a pressão sobre a inflação no Brasil, apenas dá mais tempo para respirar. Em junho, a inflação deverá romper o teto de 6,5% a.a. (no acumulado em 12 meses). Por características sazonais, o IPCA tende a recuar nos meses de maio, junho e julho, para enfim subir nos últimos meses do ano. Nos primeiros cinco meses de 2014 a inflação já alcança 3,33%, contra “apenas” 2,88% de 2013. É bom relembrar que a inflação no ano passado foi de 5,91% a.a. Desta forma, estamos caminhando para uma inflação ainda mais elevada neste ano (a RC Consultores espera alta de 6,3%). E a pressão pode ser ainda maior em 2015, com o início dos repasses dos preços represados pelo Governo, e que agora conta com um novo integrante, taxa de água e esgoto.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…