Inflação rompe teto do BC

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A inflação oficial (IPCA) de junho registrou alta de 0,40%, o suficiente para romper o teto máximo de 6,5% estipulado pelo Banco Central (BC). A inflação acumulada em 12 meses até junho de 2014 já é de 6,52% a.a. No mês, destaque para a deflação dos preços dos alimentos e bebidas, com queda de 0,11%, e da alta dos itens ligados à Copa do Mundo no Brasil, com forte elevação dos preços dos Hotéis (+25,33%) e das Passagens aéreas (+21,95%).

O comportamento dos itens do IPCA são, entretanto, distintos entre si. Alimentação fora do domicílio teve forte alta de 0,82% em junho, mesmo com a queda dos preços dos alimentos. Os itens de Serviços atingiram 9,18% a.a. no acumulado em 12 meses, enquanto os itens de Bens (automóveis, eletrodomésticos, vestuário, etc.) permaneceram em 5,80% a.a. As recentes elevações do juro pelo BC em conjunto com o fraco desempenho da economia e do mercado de trabalho já contribuem para uma menor evolução dos preços. Mas a situação ainda não é confortável. No próximo mês teremos o forte impacto da alta dos preços da energia elétrica e dos pedágios em São Paulo. O cenário para a inflação permanecerá pressionado no curto prazo, encerrando 2014 em 6,4% e 2015 em 6,1%, acima da meta de 4,5% do BC.

Comentários

comentários