Inflação rompe teto do BC

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

A inflação oficial (IPCA) de junho registrou alta de 0,40%, o suficiente para romper o teto máximo de 6,5% estipulado pelo Banco Central (BC). A inflação acumulada em 12 meses até junho de 2014 já é de 6,52% a.a. No mês, destaque para a deflação dos preços dos alimentos e bebidas, com queda de 0,11%, e da alta dos itens ligados à Copa do Mundo no Brasil, com forte elevação dos preços dos Hotéis (+25,33%) e das Passagens aéreas (+21,95%).

O comportamento dos itens do IPCA são, entretanto, distintos entre si. Alimentação fora do domicílio teve forte alta de 0,82% em junho, mesmo com a queda dos preços dos alimentos. Os itens de Serviços atingiram 9,18% a.a. no acumulado em 12 meses, enquanto os itens de Bens (automóveis, eletrodomésticos, vestuário, etc.) permaneceram em 5,80% a.a. As recentes elevações do juro pelo BC em conjunto com o fraco desempenho da economia e do mercado de trabalho já contribuem para uma menor evolução dos preços. Mas a situação ainda não é confortável. No próximo mês teremos o forte impacto da alta dos preços da energia elétrica e dos pedágios em São Paulo. O cenário para a inflação permanecerá pressionado no curto prazo, encerrando 2014 em 6,4% e 2015 em 6,1%, acima da meta de 4,5% do BC.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…