Inflação sobe e crescimento desacelera na China

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores 

Dados oficiais divulgados sobre a economia da China indicam um aumento da inflação e uma diminuição da produção industrial e nas vendas de varejo no primeiro bimestre. O índice de preços ao consumidor subiu 3,2% em fevereiro comparado com fevereiro de 2012, em ritmo mais acelerado do que os 2% registrados em janeiro. A produção industrial cresceu mais lentamente, com aumento de 9,9% em fevereiro sobre o mesmo período de 2012, após um avanço de 10,3% em dezembro. As vendas no varejo cresceram 12,3% no primeiro bimestre, sobre o mesmo bimestre do ano anterior. Em dezembro o resultado foi de 15,2%.

Os problemas econômicos da China são extraordinários. O governo chinês está enfrentando o dilema de lidar com um crescimento mais lento, em torno dos 7%, e com um aumento da inflação, que este ano deve chegar a 4%. Estima-se que 30% dos imóveis construídos recentemente estejam vazios. Ainda assim, no primeiro bimestre deste ano os preços dos imóveis permanecem com forte alta: 77,6% acima dos níveis do início do ano passado. Claramente um sinal de bolha imobiliária.

Ed.140

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…