Logística compromete o agronegócio no Centro-oeste

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Reportagem completa publicada pelo O Globo neste final de semana, com chamada na primeira página, relata as precárias condições dos principais corredores do ee. Estradas federais esburacadas, falta de armazéns e burocracia nos portos causam um prejuízo de R$ 8 bilhões. De uma saca de grãos de 60 Kg o equivalente a 25kg são capturados nos altos custos de logística.

O investimento na construção de armazéns minimizaria este problema. Há muito se sabe que o escoamento em caminhões é utilizado como “armazém”, entupindo as estradas e portos. O prejuízo anual com a logística equivale ao custo de construir cerca de mil quilômetros de ferrovias por ano. E quando o governo resolve investir em ferrovia, ela já começa comprometida, conforme notícia publicada na Folha de São Paulo, informando que, em recente constatação pelo Ministério dos Transportes, 855 quilômetros da ferrovia Norte-Sul foram construídos com trilhos de baixa qualidade, que reduzirão a quantidade de carga transportada por vagão, devido à falta de dureza do aço chinês empregado nos trilhos. Com a debilidade do escoamento da produção de grãos no centro-oeste do país, aumenta o risco do agronegócio perder competitividade internacional.

Ed.169

Comentários

comentários