Mais rápido do que o esperado

Por Bruna Martins/Flávio Calife

Ninguém esperava uma melhora no mercado de trabalho em 2016, mas os números do primeiro trimestre começam a assustar. Dados de hoje do IBGE mostram que a taxa de desemprego subiu 0,7 p.p. em relação ao trimestre findo em fevereiro, atingindo 10,9% em março, o pior resultado desde o início da série em 2012. É o terceiro mês consecutivo que o aumento acontece de forma bem acentuada. Em março do ano passado a taxa era de 7,9%.

O número de desempregados que em fevereiro já era de preocupantes 10,4 milhões, agora já chegou aos 11,1 milhões, uma elevação de 39,8% frente ao resultado do ano anterior e de 22,2% ante o 4º trimestre de 2015. As consequências sobre os rendimentos são notórias, queda real de 3,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Com a renda mais apertada e com menos oferta de emprego, mais trabalhadores encontram-se à deriva no mercado de trabalho, pressionando a taxa de desemprego.

Os constantes recuos na atividade econômica têm levado as empresas a reduzirem seus custos, e o ritmo das demissões leva a crer que este foi o principal meio encontrado para o corte. Tendo em vista a pouca possibilidade de mudanças no curto prazo, o cenário mais provável é que o desemprego continue em tendência de alta ao longo do ano. Só esperamos que em um ritmo menor.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC reúne especialistas para debater avanços e benefícios econômicos do Cadastro Positivo

A Boa Vista SCPC recebeu autoridades como Oscar Madeddu, do Banco Mundial, João André Pereira, do Banco Central do Brasil e César Calomino, da Equifax do Uruguai, para falar sobre o Cadastro Positivo e os seus impactos econômicos e sociais, inclusive em países em desenvolvimento onde já é uma realidade. Estes convidados também salientaram a…

Recuperação de crédito cai 2,3% no acumulado 12 meses

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 2,3% na variação acumulada em 12 meses (setembro de 2016 até agosto de 2017). A variação mensal com dados dessazonalizados apresentou aumento de 4,5% contra o mês…

Relatório de Crédito – jul/17

O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou os dados de crédito referente a julho. A expansão das operações de crédito, até o momento, continua em ritmo moderado. O crescimento do saldo veio levemente abaixo do esperado, com redução na variação anual (caiu 1,6% em junho/17 contra diminuição de 1,7% em jul/17), atingindo R$ 3,1 trilhões,…