Mais rápido do que o esperado

Por Bruna Martins/Flávio Calife

Ninguém esperava uma melhora no mercado de trabalho em 2016, mas os números do primeiro trimestre começam a assustar. Dados de hoje do IBGE mostram que a taxa de desemprego subiu 0,7 p.p. em relação ao trimestre findo em fevereiro, atingindo 10,9% em março, o pior resultado desde o início da série em 2012. É o terceiro mês consecutivo que o aumento acontece de forma bem acentuada. Em março do ano passado a taxa era de 7,9%.

O número de desempregados que em fevereiro já era de preocupantes 10,4 milhões, agora já chegou aos 11,1 milhões, uma elevação de 39,8% frente ao resultado do ano anterior e de 22,2% ante o 4º trimestre de 2015. As consequências sobre os rendimentos são notórias, queda real de 3,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Com a renda mais apertada e com menos oferta de emprego, mais trabalhadores encontram-se à deriva no mercado de trabalho, pressionando a taxa de desemprego.

Os constantes recuos na atividade econômica têm levado as empresas a reduzirem seus custos, e o ritmo das demissões leva a crer que este foi o principal meio encontrado para o corte. Tendo em vista a pouca possibilidade de mudanças no curto prazo, o cenário mais provável é que o desemprego continue em tendência de alta ao longo do ano. Só esperamos que em um ritmo menor.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Uso de certificado digital na entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física garante segurança e agilidade aos contribuintes

Contribuintes com rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano de 2016 precisam entregar, obrigatoriamente, até o dia 28 de abril a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física – DIRF 2017. Para tornar essa obrigação junto à Receita Federal mais simples, rápida e prática, com a segurança da transmissão de informações pelo ambiente online,…

Maioria dos consumidores afirma ter perfil equilibrado quanto aos seus hábitos de consumo, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

A maioria dos entrevistados (59%) em pesquisa inédita desenvolvida pela Boa Vista SCPC afirma ter um perfil equilibrado quando questionada sobre os seus hábitos de compra. Outros 28% dizem ter perfil conservador, e 13% afirmam ser consumistas. O levantamento da Boa Vista SCPC, elaborado com 1.169 entrevistados, em todo o Brasil, no período entre 31…

Parceria ADASP com a Boa Vista SCPC possibilita a ampliação de resultados

A Boa Vista SCPC tem parceria com mais de 2.200 entidades de classes representativas em todo o Brasil. Destaca-se também pela inovação e contínuo investimento em tecnologia para desenvolvimento de soluções que antecipem as principais demandas do mercado. Possui um time com centenas de profissionais especializados em modelagem estatística de informações, o que garante produtos…