Mercados aguardam uma injeção de dinheiro mais forte pelo FED

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Mesmo após a indicação do FED (Banco Central dos EUA), contida na ata de sua reunião recente, de que tenciona fazer mais uma intervenção no mercado, emitindo dólares em grande profusão, os mercados de risco comemoraram pouco. As bolsas do mundo andaram de lado ou caíram no dia de ontem. O sinal dos mercados é claro: as emissões de moeda anteriores – no montante inédito de US $ 1,6 trilhão só nos EUA – não foram suficientes para recompor o ritmo da economia global. Os mercados aguardam mais.

A enorme onda de liquidez que varre o mundo demonstra claramente o erro dos bancos centrais de abusar do recurso às emissões monetárias nas principais economias do mundo. A liquidez teve um desdobramento: esticou o período de estagnação econômica e preveniu um choque social. Mas o custo de prolongar a crise por mais de cinco anos pode representar um ônus imprevisto para as economias avançadas, que rapidamente perdem espaço para os emergentes nesta década.

Ed.15

Comentários

comentários

Posts relacionados

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…

Número de novas empresas sobe 5,1% no 3º trimestre

No 3º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 5,1% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Desta forma, os valores acumulados no ano (janeiro a setembro), quando comparados ao mesmo período do ano anterior, mantiveram-se positivos, passando de um…

Vendas para o dia das crianças sobem 2,7% em 2017

Dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) mostram que em 2017 as vendas do comércio para o dia das crianças aumentaram 2,7% quando comparadas aos resultados de 2016. Dessa forma, o indicador para data comemorativa tornou a subir após 2 anos consecutivos de queda, quando variou -4,2% em 2016 e -3,4%…