Brasil recebeu 5% do investimento direto mundial

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Brasil foi o país que recebeu o terceiro maior volume de investimentos estrangeiros diretos (IED) entre as economias emergentes em 2012. Com US$65 bilhões, 5% do total, ficou atrás da China (US$120 bilhões) e Hong Kong (US$72 bilhões). Os BRICs receberam, em conjunto, US$263 bilhões (20% do fluxo total), sendo que a China recebeu 46% desse volume seguida pelo Brasil (25%), Rússia (17%) e Índia (10%). Em uma década, o Brasil subiu 11 degraus no ranking dos destinos globais de IED. Em 2003 era o 15º da lista, com 1,7% do total dos fluxos, alcançando em 2012 o quarto lugar, com 5%.

Estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transacionais (Sobeet), o perfil do investimento externo (IEB) mudou nos últimos cinco anos. Houve crescimento na proporção relativa ao setor de petróleo e recuo no setor de serviços, que ainda lidera a preferência do capital externo. Embora o Brasil tenha conseguido uma fatia importante do IED, a tributação, o ambiente regulatório, a burocracia e a infraestrutura dificultarão a continuidade desse fluxo. Para este ano, o próprio Banco Central admite que o volume de IED não será suficiente para cobrir o saldo negativo das transações correntes.

Ed.151

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…