Nova descoberta no Pré-Sal eleva risco da Petrobras

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A Agência Nacional de Petróleo – ANP – anunciou ontem que novos dados geológicos da área gigante de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, sugerem que este seja o maior campo do país, com o equivalente a dois terços de todas as reservas aprovadas do Brasil. Essa descoberta fez a ANP antecipar o próximo leilão para outubro e determinar que Libra seja a única oferta do pré-sal.

O regime de partilha, criado para o pré-sal, determina que a Petrobras tenha que participar como operadora de Libra com um mínimo de 30%, mesmo que não participe do consórcio vencedor. Também terá que acompanhar o maior preço ofertado, mesmo que não esteja de acordo. A Petrobras, de alguma forma, admite que a compra da refinaria nos EUA, na gestão Gabrielle, por US$ 1,2 bilhão e a construção da Refinaria Abreu Lima, em Pernambuco, em que o custo inicial foi multiplicado por sete, atingindo US$ 17,4 bilhões, foram erros graves de planejamento. Esses investimentos, acompanhado pelo atraso nos reajustes dos derivados de petróleo, acabaram por comprometer o caixa da empresa. A regra do regime de partilha aumenta o risco da Petrobras, em função da sua baixa capacidade de investimento atual.

Ed.192

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…