Novos tempos para o comércio


Flávio Calife/Izabel Faez

O ano de 2015 apresentou um resultado ruim para o comércio, o pior desde o início da série histórica em 2010, com queda de 3,1%. O movimento do setor, segundo o indicador da Boa Vista SCPC, já se encontra em território negativo desde julho de 2015, e as perspectivas para 2016 não são das melhores. Cenário desafiador para um setor acostumado com grandes ganhos.

O resultado dos primeiros meses de 2016 não nega o esperado. O movimento do comércio subiu 0,3% em fevereiro de 2016, mas na variação acumulada em 12 meses a queda foi de 4%, novo recorde negativo da série.

É evidente que o cenário continua preocupante para o varejo. Comparando fevereiro de 2016 com o mesmo mês do ano anterior, o recuo das vendas foi de 6,7%. E no primeiro bimestre do ano o setor já acumula queda de 7,6%. Sem perspectiva de melhora no curto prazo, a tendência se mantém. 2016 dificilmente não será um ano de perdas.

Alta nos preços, elevadas taxas de juros e aumento do desemprego fazem com que o consumidor reduza os gastos. A confiança diminui e se reflete na baixa demanda por crédito. As quedas mais acentuadas aconteceram no setor de bens duráveis, o mais dependente do crédito: móveis e eletrodomésticos caíram 15,7% em comparação ao mesmo mês do ano anterior, 14,1% no bimestre e acumulam perda de 6,7% em 12 meses. O setor de vestuário também apresentou uma queda mais elevada quando comparado aos outros.

Os setores do varejo mais dependentes da renda e menos do crédito registraram quedas mais leves. Supermercados caíram 5,1% no bimestre contra o mesmo período do ano anterior, enquanto combustíveis e lubrificantes perderam 3,4%. É importante notar que todos os setores do varejo apresentaram queda. O varejo se prepara para a nova realidade e espera por dias melhores.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…