O ano do desemprego

Por Bruna Martins/Flávio Calife

O desemprego atingiu novo recorde da série histórica e, ao lado da inflação, transformou-se em variável extremamente preocupante para as famílias ao longo de 2015. Segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego encerrada em outubro (trimestre móvel que compreende agosto, setembro e outubro) atingiu 9,0%, a maior taxa desde o começo da série iniciada em 2012. Na comparação contra o período encerrado em 2014, a taxa de desocupação aumentou 2,4 p.p. O ano de 2015 marca também a inflexão na tendência do indicador, que vinha em queda e passou a crescer ininterruptamente a partir de janeiro do ano passado.

O ambiente econômico não deve ajudar. Com a persistente retração da atividade econômica, o desemprego tende a seguir em alta, reduzindo o poder de barganha dos trabalhadores em relação aos salários. O rendimento habitual real referente ao trimestre encerrado em outubro recuou para R$1.895, apresentando uma contração de 1% na comparação interanual.

Desemprego e inflação em alta somados a uma redução da renda corroeram o poder de compra das famílias ao longo do ano, que tiveram que readequar o padrão de consumo para um nível condizente com esse cenário. Com o consumo em desaceleração e a indústria descendo a ladeira, a atividade econômica não apresenta sinal de melhora no curto prazo. O indicador do Banco Central que antecede o PIB (IBC-Br), também divulgado hoje, já atingiu queda de 3,85% no acumulado de janeiro a novembro e a expectativa do mercado para o próximo ano já se encontra em -3%.

Mais um ano de más notícias no mercado de trabalho está por vir

Comentários

comentários

Posts relacionados

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…

Inadimplência do consumidor cai 0,8% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor caiu 0,8% no 1º semestre de 2017, na comparação com o 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 3,1%. Na avaliação mensal dessazonalizada, a…