Otimismo ou pessimismo para 2015?

Por Flávio Calife e Bruna Martins, da área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC

As projeções do mercado que são divulgadas semanalmente no relatório Focus do Banco Central nos mostram que nos últimos 4 anos os analistas têm sido preponderantemente otimistas em suas previsões. Comparando as expectativas do relatório no início de cada ano para o Produto Interno Bruto (PIB) com os dados oficiais divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nota-se que 2010 foi o último ano em que as projeções foram subestimadas (observou-se crescimento de 7,5% ante expectativa de 5,2%), logo após uma crise financeira internacional que minou a confiança do mercado. Desde então os resultados oficiais ficaram bem aquém das expectativas. No início de 2014, por exemplo, esperava-se um crescimento da economia brasileira de 1,95%, sendo que a provável variação do PIB será próxima de zero.

O primeiro relatório Focus de 2015, divulgado hoje, aponta uma expectativa de crescimento econômico de 0,50%, bem abaixo da média de 1,6% dos últimos 4 anos e ainda mais distante da média da América Latina, de 2,9%, conforme os dados consolidados pelo FMI e projeção de 2014 feita pela CEPAL (Comissão Econômica para América Latina e Caribe, da ONU). O cenário contempla as medidas de austeridade anunciadas pela nova equipe econômica e com ela a esperança de reconquistar a confiança do mercado, viabilizando uma retomada mais sustentável do crescimento da economia após 2015. A dúvida recai sobre o alcance das medidas e a efetividade de seus resultados. Esse ambiente, ainda muito incerto, torna as projeções bem mais voláteis e bem menos precisas. Talvez ainda seja cedo para questionarmos, mas o desafio é bastante claro. Neste cenário, estaria o mercado, de fato, otimista ou pessimista para 2015? O excesso de otimismo tem levado a projeções equivocadas, mas quem sabe o pessimismo nos traga surpresas positivas?

Comentários

comentários

Posts relacionados

Número de novas empresas aumentou 6,6% no 1º trimestre de 2017, segundo Boa Vista SCPC

No 1º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 6,6% em relação ao mesmo período de 2016 (análise interanual), segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Em relação ao 4º trimestre de 2016 houve aumento de 29,2%. Forma jurídica Na análise por classificação de forma…

Inadimplência das empresas inicia 2017 com queda de 0,3%, diz a Boa Vista SCPC

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 0,3% no 1º trimestre de 2017 quando comparada ao mesmo trimestre do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Depois de três anos consecutivos de alta do indicador na comparação interanual (1º tri de 2017 contra o…

Boa Vista SCPC: inadimplência do consumidor paulistano caiu 4,3% no 1º trimestre

A inadimplência do consumidor na cidade de São Paulo teve queda de 4,3% no acumulado do ano (1º trimestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados da Boa Vista SCPC. Na comparação interanual (março-17 contra março-16), a inadimplência retraiu 8,4%. Contra o mês anterior (março-17 contra fevereiro-17) houve…