Paralisação nos EUA terá reflexo nas eleições do congresso em 2014

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O impasse para elevação do teto da dívida americana teve hoje mais um capítulo, o chamado “Shutdown”, com a determinação da paralisação parcial de diversas repartições públicas, após o Congresso fracassar na aprovação do novo orçamento federal. A Câmara dos Deputados é controlada pelos republicanos, enquanto os democratas têm maioria no Senado. A oposição insiste no adiamento em um ano da reforma do sistema de saúde proposta por Obama, condição completamente descartada pelo governo. A paralisação deixa mais de 800 mil funcionários sem salário, além de poder gerar um prejuízo da ordem de US$ 1 bilhão. Atualmente o limite legal do endividamento americano é de US$ 16,7 trilhões, o que garante liquidez ao governo somente até o dia 17 de outubro.

Esta não é a primeira vez que tal medida é tomada. Desde 1976 já ocorreram 17 interrupções das atividades públicas, sendo a última ocorrida no governo do democrata Bill Clinton entre o final de 1995 e início de 1996, ano de eleições presidenciais. Naquela época, também foram os republicanos que travaram as votações e encabeçaram o impasse. No entanto, tal estratégia política fracassou, uma vez que a população considerou os republicanos os responsáveis pela paralisação, permitindo assim a reeleição de Bill Clinton. Hoje, segundo pesquisa da CNN/ORC international, 46% dos americanos consideram os republicanos responsáveis por mais essa paralisação. É importante ressaltar que em 2014 teremos eleições para o Congresso dos EUA. Resta saber o quão propenso ao risco estão os republicanos neste momento.

Ed.282

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…