Partindo para o ataque

É praticamente um consenso que a retomada de crescimento da produção industrial é fundamental para que o Brasil volte a crescer de forma sustentável. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) do IBGE, divulgada no início do mês, desde junho de 2011 a produção industrial está em queda na variação do acumulado em 12 meses e mês a mês este cenário se agrava mais, atingindo
-4,8% em abril de 2015. Dados divulgados hoje da PIM regional revelam que 13 dos 14 locais pesquisados recuaram na comparação mensal. Apenas o Paraná obteve alta (1,4%), enquanto os demais desceram a ribanceira, com destaque para a queda de 7,9% do Ceará. Esses resultados só não são piores que os obtidos no fim de 2008, quando não houve exceção.

O desempenho da indústria de transformação é preocupante, pois já encontra-se nos patamares da crise enquanto a indústria extrativa ainda cresce. Os empresários do ramo de transformação, que já não estão nada satisfeitos com os resultados da produção, manifestaram-se contra a retirada do benefício da desoneração de folha de pagamentos e o aumento da alíquota sobre o faturamento em pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Segundo a pesquisa da entidade, estas medidas acelerariam o processo de demissões já em curso devido à retração econômica, colocando cerca de 290 mil vagas em risco.

O ajuste fiscal em voga e o aperto monetário promovido pelo Banco Central certamente continuarão contribuindo para que o cenário continue turbulento. O governo tenta partir para o ataque, lançando um pacote de concessões com previsão de investimentos de quase R$ 200 bilhões para os próximos 5 anos, incluindo a licitação de ferrovias, rodovias, portos e aeroportos.

Apesar das incertezas que ainda envolvem o sucesso do pacote, uma coisa é certa: deixar de colocar esforços somente no necessário e recessivo ajuste fiscal e incentivar a participação da iniciativa privada em grandes projetos de longo prazo sem dúvida ajudam a melhorar o ambiente de negócios para novos investimentos, principalmente no setor industrial.

Comentários

comentários