Petróleo abaixo de 90 dólares

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O preço do Petróleo WTI chegou hoje a seu menor nível em 17 meses. Foi negociado em Nova York a US$ 89,49 por barril. O barril de Brent, referência para o consumo europeu, também abriu em queda de 1,53%, sendo negociado a US$ 92,72, preço mais baixo desde junho de 2012. Os preços do petróleo estão pressionados pelo desaquecimento econômico na zona do euro e a elevada produção nos EUA.

Dois fatores contribuem para a queda dos preços do petróleo, mesmo com os combates na Síria, no Iraque e na Líbia e o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. O primeiro é reflexo não só da desaceleração do crescimento mundial, mas, principalmente, da mudança da política monetária americana, que atinge indistintamente todas as commodities. O outro é a revolução que o xisto nos EUA está provocando nos mercados de energia no mundo. A Energy Information Administration – EIA – estima que a produção de petróleo nos EUA vai subir 14% este ano, para 8,5 milhões de barris por dia e atingir 9,5 milhões no próximo ano, nível mais elevado desde 1970. Pela tendência atual, os EUA poderão alcançar a Arábia Saudita e a Rússia em produção unicamente de petróleo até o final da década. Se considerarmos a produção de petróleo e subprodutos, como etano e propano, a produção americana foi equivalente à da Arábia Saudita em junho e agosto, em cerca de 11,5 milhões de barris/dia. Se esse boom de produção americana continuar no mesmo ritmo, o país deverá ultrapassar a Arábia Saudita no próximo mês, pela primeira vez desde 1991.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…