Petróleo continuará pressionando balança comercial

Por Marcel Caparoz / José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior divulgou ontem o resultado negativo de US$ 1,9 bilhão da balança comercial em julho. No ano já acumula um saldo negativo de US$ 5 bilhões. As exportações até julho somam US$ 135 bilhões, queda de 2,1%, enquanto as importações subiram 9,2%, atingindo US$ 140,2 bilhões. A conta de importações de combustíveis e lubrificantes surpreendeu com um aumento de 77,5% em relação ao mês anterior, e 69,3% ante o mesmo mês do ano anterior, atingindo US$ 5,3 bilhões.

O ritmo de crescimento das importações dos derivados de petróleo em 2013, já descontados os US$ 4,5 bilhões importados em 2012 e contabilizados este ano, continua elevado, com crescimento médio de 7,3% em relação a 2012. Tudo indica que o petróleo continuará pressionando a balança comercial. Embora a taxa de câmbio desvalorizada possa favorecer um menor crescimento das importações, a projeção do mercado de US$ 5,7 bilhões de superávit para este ano está superdimensionada.

Ed.240

Comentários

comentários