Preço do petróleo em queda

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A cotação do petróleo Brent abriu nesta segunda-feira com queda de quase 1%, cotado a US$99,83, abaixo dos US$100,00. A última vez que o Brent foi negociado abaixo dos 100 dólares foi em junho de 2013, mas por apenas dois dias. De forma consistente, apenas em 2012 o Brent se comportou abaixo desse valor. A pressão sobre a cotação ocorreu depois dos dados da China, segundo maior consumidor desta matéria prima, indicarem uma queda nas importações.

Apesar das tensões geopolíticas na Ucrânia e no Oriente Médio, o preço do Brent já caiu quase 10% este ano. O WTI também segue tendência de queda. A perspectiva para o petróleo a curto e médio prazos é baixista. Ainda que a recuperação econômica global ganhe ritmo, o que é pouco provável, o aumento da produção em diversas regiões do mundo não deve permitir que os preços sejam pressionados. O boom do xisto nos EUA tem redesenhado o panorama do mercado de petróleo. No entanto, essa queda de preço não será suficiente para gerar grande alívio na balança comercial brasileira da commodity. Este ano, a conta petróleo apresenta déficit de R$ 11,7 bi até julho. Tudo indica que o petróleo continuará pressionando a balança comercial, sobretudo pela importação da gasolina, que mesmo com a queda no preço do petróleo ainda manteve em agosto uma defasagem de R$ 0,17 por litro.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…