Produtividade estagnada no Brasil

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE – divulgou um estudo sobre a Perspectiva para o Desenvolvimento Global em que dedica um capítulo aos países do BRIICS (Brasil, Rússia, Índia, Indonésia, China e África do Sul). O estudo avalia que nesses seis países a produtividade ainda está abaixo dos países desenvolvidos. Todos os países do BRIICS têm níveis de produtividade de cerca de 10% menor que nos EUA. O Brasil tem 11,1% menos produtividade que nos EUA. O estudo aponta que aumentou a fatia das importações de bens de consumo, o que ilustra que o crescimento na última década tem sido basicamente motivado pelo consumo e, apesar do aumento das importações de bens de capital, isso não se traduziu em exportações mais forte de produtos com maior valor agregado.

O estudo alerta que a competitividade no Brasil pode estar sendo restringida por gargalos na infraestrutura, em recursos humanos qualificados e nos altos custos administrativos. Esse estudo corrobora o que outros estudos elaborados pela Fiesp, CNI e outros institutos já alertam há algum tempo. Não por acaso o Brasil aparece em 37º em um ranking de produtividade da revista “The Economist” comparando 82 países, sendo que em itens como infraestrutura e carga tributária o país aparece em 52º e 76º, respectivamente. Sem uma política consistente de aumento de investimentos em infraestrutura e sem uma simplificação e redução da complexa carga tributária será impossível o Brasil aumentar sua produtividade e se impor como um player importante na economia global.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…