Reajuste de energia em São Paulo projeta inflação no limite

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

A partir de hoje os consumidores de energia atendidos pela Eletropaulo, que atende a capital paulista e 24 municípios da região metropolitana, terão suas contas majoradas em média 18,66%. Para residências o reajuste é de 18,06%, enquanto as indústrias terão seus custos de energia elevados em 19,93%. O reajuste poderia ser ainda maior, 22%, não fosse uma decisão da Aneel de parcelar em quatro anos um ajuste nas tarifas em função de cobrança indevida da Eletropaulo com relação à quantidade de cabos inexistentes.

O reajuste da energia da Eletropaulo tem forte impacto no IPCA, na medida em que o peso da região metropolitana de São Paulo no item energia elétrica é de 28%. Embora já fosse esperado o rompimento do teto da meta de inflação para este mês no acumulado em 12 meses, o elevado reajuste da energia pela Eletropaulo pressiona ainda mais o resultado da inflação no ano. No último trimestre sempre há elevação sazonal de preços. Considerando a possibilidade de um reajuste de combustíveis, ou mesmo uma nova subida do câmbio, a inflação pode ultrapassar os 6,5% ao final do ano. Mais um fator sensível na disputa eleitoral.

Comentários

comentários