Redução dos estímulos nos EUA já está precificada

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

O Banco Central americano (FED) anunciou ontem o início da redução dos estímulos à economia a partir de janeiro de 2014, com um corte de US$ 10 bilhões nas injeções mensais, diminuindo a recompra de títulos públicos do patamar de US$ 85 bi para US$ 75 bi mensais. No entanto, ao contrário do que grande parte do mercado acreditava, a reação após o anúncio foi positiva. A bolsa japonesa fechou esta quinta com alta de 1,74%, enquanto as principais bolsas europeias sustentam elevação dos índices, com a Alemanha subindo 1,22% hoje pela manhã. Nos EUA, os índices futuros apontam para uma pequena baixa de 0,4%.

No anúncio do FED ao mercado ficou claro que embora a redução dos estímulos se inicie em janeiro de 2014, este deverá ser executado gradativamente, permitindo que a taxa de juros de longo prazo no país permaneça reduzida por um longo período de tempo, contribuindo para uma recuperação sustentável da economia americana. O fim das dúvidas contribuirá para uma menor volatilidade dos ativos no curto prazo, embora no médio prazo esta menor liquidez poderá gerar a correção do preço de alguns ativos e elevar ainda mais a volatilidade.

Ed.337

Comentários

comentários