Resultado eleitoral invoca aceleração de mudanças

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

A fala da presidente Dilma, comentando o resultado das urnas, resume com clareza o recado dos eleitores: é preciso acelerar mudanças. A presidente disse ao público presente “haver entendido a mensagem dos eleitores”. O reduto eleitoral da situação, localizado principalmente nas regiões Nordeste e Norte, não foi suficiente para compensar o forte oposicionismo que emergiu das urnas nas regiões Sul e Sudeste do País. O candidato Aécio, emergindo de uma notável recuperação, também capturou o mesmo mote popular e o resumiu em duas palavras: decência e eficiência. Como exímio político que é, Aécio cunhou duas palavras que rimam entre si, a primeira para resgatar o polo da ética na política e nos negócios de Estado, e a segunda como lembrança da grande urgência nacional por resgate do “fazer as coisas direito e bem”, portanto, mais eficiência.

De modo geral, pelo país afora, os eleitorados correram atrás de possíveis melhorias na decência e eficiência. Houve certa surpresa pelo resultado de Minas, por exemplo, com a vitória eleitoral de Fernando Pimentel. Mais uma vez, não há surpresa: o nome de Pimentel invoca o que há de mais moderno, decente e eficiente, como oferta de político na prateleira do PT. Haja vista que o mesmo eleitorado mineiro não deixou de eleger e consagrar outro jovem e grande político, de linha adversária a Pimentel: o agora senador Antonio Anastasia. Outro exemplo significativo de busca da eficiência no governo é o retorno, em 1º turno, do governador Paulo Hartung no Espírito Santo, considerado um exemplo de grande gestor público. Já em Mato Grosso, a vitória de Pedro Taques, senador e com um currículo de homem da lei, também é sintoma de resgate de um nome decente num grande estado, mas com especiais dificuldades de lidar com o cumprimento das leis. Nem todos os sinais são bastante claros. Mas ao pesquisarmos a lista de resultados decepcionantes, também aprendemos onde os eleitores mandaram idênticos recados aos políticos.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Inadimplência das empresas inicia 2017 com queda de 0,3%, diz a Boa Vista SCPC

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 0,3% no 1º trimestre de 2017 quando comparada ao mesmo trimestre do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Depois de três anos consecutivos de alta do indicador na comparação interanual (1º tri de 2017 contra o…

Boa Vista SCPC: inadimplência do consumidor paulistano caiu 4,3% no 1º trimestre

A inadimplência do consumidor na cidade de São Paulo teve queda de 4,3% no acumulado do ano (1º trimestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados da Boa Vista SCPC. Na comparação interanual (março-17 contra março-16), a inadimplência retraiu 8,4%. Contra o mês anterior (março-17 contra fevereiro-17) houve…

Demanda por Crédito do Consumidor cai 4,0% no 1º trimestre, segundo Boa Vista SCPC

Dados nacionais da Boa Vista SCPC apontam que a Demanda por Crédito do Consumidor caiu 4,0% no 1º trimestre de 2017 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (abril de 2016 até março de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 9,3%,…