Resultado do PIB confirma terceiro trimestre fraco

Por Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

O fraco desempenho da economia no terceiro trimestre deste ano foi confirmado esta manhã. O Produto Interno Bruto (PIB), que representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos no país, apresentou queda de 0,5% na comparação com o segundo trimestre de 2013 (série com ajuste sazonal). O setor agropecuário, que havia garantido o forte crescimento no 2Tri13, registrou queda de 3,5%, puxando o resultado para baixo. Já a indústria e serviços apresentaram ligeiro crescimento (+ 0,1%). Na comparação com igual período de 2012, o PIB teve expansão de 2,2%. Nos últimos quatro trimestres, o crescimento acumulado subiu para 2,3% contra 2% registrado no trimestre anterior.

Do lado da demanda a formação bruta de capital fixo foi o pivô da queda com retração de 2,2% em relação ao 2Tri13. Consumo das famílias e governo tiveram avanço de 1% e 1,2%, respectivamente. Dentre os fatores que impactaram neste resultado, podemos destacar: a) fragilidade das principais economias avançadas que impediu melhor desempenho das exportações; b) inflação persistentemente alta e ciclo de aumento dos juros que têm forçado ainda mais a desaceleração do varejo; c) indústria que mesmo com desvalorização do câmbio médio tem tido dificuldade para concorrer com os importados; e d) o arrefecimento do mercado de trabalho e o elevado endividamento das famílias, os quais corroem a confiança do consumidor. O trimestre em curso não parece trazer grandes melhorias. O PIB deverá registrar ligeiro crescimento, levando a economia brasileira a fechar outro ano de fraco desempenho, apenas 2,4%. O modelo de autoconsumo saturou. Prova disso são as perspectivas de crescimento para o ano eleitoral de 2014, que no melhor dos cenários deve ser semelhante a este ano.

Ed.325

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…