Seca prolongada já afeta a safra de 2015 e impõe revisão de indicadores

Por Paulo Rabello de Castro e Marcel Caparoz, da RC Consultores

O prolongamento da estiagem no Centro-Sul do país (a situação nas áreas de plantio no Sul do país é inversa, por causa do excesso de chuvas, mas com efeito semelhante) começa a projetar um cenário de adversidade na oferta futura de grãos, relativa à safra 2015. Os preços de alguns grãos, especificamente soja, já apontaram alguma reação – 5% de alta nos 4 últimos leilões – indicando aos agricultores brasileiros um comportamento de preços menos desfavorável nos meses de comercialização. Distintamente de anos anteriores em que, a esta altura, uma boa parte da safra já estava semeada e, inclusive, pré-vendida, com trava de preços, desta vez menos de 10% da área semeável no Mato Grosso, maior produtor, se encontra plantada. Os agricultores esperam pela chuva, que ainda não veio em meio a um intenso calor em toda a região.

O efeito desse fenômeno climático sobre o abastecimento e comportamento futuro dos preços nos supermercados deveria ser matéria de preocupação da equipe econômica do próximo governo. A cadeia produtiva das carnes será afetada – já vem sendo, aliás – com seguidas altas nos preços das carnes preferidas pelo consumidor brasileiro. O impacto no IPA, e em seguida, no IPCA, não tardará a empurrar a trajetória da inflação ainda mais para fora do limite superior da meta. Os defensores da polêmica alta de juros para controlar a demanda privada e os preços em geral encontrarão “justificativas” para novas subidas da Selic. E a balança comercial poderá contar com menor oferta de produção agropecuária para suprir divisas necessárias à cobertura do crescente déficit nas contas correntes externas.

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…