Solução para crise europeia ainda está distante

 

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Após meses de negociações, ministros de Finanças da União Europeia concordaram em dar ao BCE autoridade para supervisionar os bancos da zona do euro e intervir em bancos menores no primeiro sinal de problema. A implementação do Mecanismo Supervisor Bancário Único (SSM) permitirá a recapitalização direta dos bancos da zona do euro pelo Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), dando um passo adiante na união bancária. A atuação do BCE está de fato prevista para começar em março de 2014. A recapitalização direta dos bancos pelo ESM, portanto, só deve ocorrer depois dessa data.

 

Também ontem foi anunciada a aprovação final para o desembolso de uma tranche de € 49,1 bilhões à Grécia, como parte do segundo pacote de resgate. A liberação dessa tranche foi possível depois da recompra da dívida grega como parte do plano para reduzir a dívida. A redução da dívida helênica com a recompra dos € 30 bilhões está estimada em 11% do PIB.

 

Essas duas decisões são positivas, mas não suficientes. O encaminhamento para a solução da crise europeia passa pela integração fiscal da zona do euro.

 

Ed.90

Comentários

comentários