Subida de juros pelo Copom pode sinalizar recessão em 2015

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Hoje à noite o Banco Central anuncia a decisão do Comitê de Política Monetária – Copom – sobre a taxa básica de juros da economia, atualmente em 11,25%. O mercado se divide entre um aumento que vai de 0,25 a 0,75 ponto percentual. Na curva de juros futuro de ontem, o mercado projeta cerca de 85% de chance de alta de 0,50 ponto percentual (p.p.) e outros 15% de possibilidade de a elevação ser de 0,75 p.p.. A novidade é que o mercado já está descartando a possibilidade de aumento de 0,25 p.p..

A prevalecer esse aumento de 0,75 ou mesmo 0,50 p.p., o Banco Central sinalizará uma recessão econômica para 2015. Como já comentamos nas últimas decisões do Copom sobre o aumento de juros, insistimos na tese que sob o ponto de vista do controle da inflação, a medida é desnecessária e inoportuna. Desnecessária porque os preços livres, excetuando-se os serviços, estão rodando com tendência ao centro da meta de 4,5% no médio prazo. Os serviços, em função dos contra-cheques emitidos pelo governo central, pouco respondem à política monetária. Inoportuna porque a elevação dos juros vai acentuar ainda mais a desaceleração econômica já em curso. As vendas do varejo ampliado recuaram 1,2% em setembro sobre o mesmo mês do ano anterior. A subida da taxa de juros vai ampliar esse quadro de desaceleração que vai se juntar ao elevado comprometimento da renda das famílias. A indústria, que já vem recuando ao longo do ano, sofrerá mais um revés. As despesas do governo fora de controle, estas sim, continuam pressionando a demanda e são a causa da inflação fora da meta.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…