Um ano que as empresas gostariam de esquecer

Bruna Martins/Yan Cattani

O indicador de Falências e Recuperações Judiciais da Boa Vista SCPC, divulgado hoje, trouxe mais uma má notícia. No acumulado de 2015 em relação a 2014, os pedidos de falências registraram alta de 16,4%, pior resultado desde 2012, quando havia atingido 13,8%. Não obstante, as falências decretadas aumentaram 16,7%, os pedidos de recuperação judicial 51,0% e as recuperações judiciais deferidas 39,3%.

Quando analisado por porte, segundo os critérios de porte de empresa adotados pela circular Nº 11/2010 do BNDES, a distribuição das falências e recuperações judiciais são predominantemente em pequenas empresas, sendo a representação atual de 83% do total de pedidos de falência, 91% dos decretos de falência, 90% dos pedidos de recuperação judicial e 89% dos deferimentos de recuperação judicial.

Em relação ao setor, a maioria concentra-se em Serviços, mas a diferença entre os setores é pequena. O setor de Serviços representou 41% dos pedidos de falência, seguido do setor Industrial (35%) e do Comércio (24%). Nos demais casos, Serviços é seguido por Comércio e depois por Indústria.

Com isso, os indicadores de Falências e Recuperações Judiciais encerraram 2015 em patamares superiores aos observados em 2014. A fraca atividade econômica e os elevados custos dificultaram a geração de caixa das empresas, que viram a tomada de crédito como uma possível solução. Entretanto, a restrição e o encarecimento do crédito às empresas agravaram ainda mais a situação, levando a piora destes indicadores. 2015 será – durante um bom tempo – um ano que as empresas gostariam de esquecer. E o problema é que em 2016 o cenário não é muito diferente, e por isso os indicadores devem conservar a tendência observada ao longo de 2015. Mais um ano difícil pela frente.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 4,6% em maio

A demanda por crédito do consumidor subiu 4,6% em maio frente a abril, com o ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…