Um Obama mais progressista, mas com enormes desafios

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores 

O presidente Barak Obama iniciou ontem seu segundo mandato com uma proposta de agenda mais progressista para os próximos quatro anos. Não por acaso fez o juramento com a mão direita sobre duas bíblias: a de Martin Luther King e Abraham Lincoln. No discurso de posse defendeu igualdade e os direitos das mulheres, imigrantes e gays, comparando a luta dos homossexuais às lutas raciais dos anos 50 e 60. Obama ainda prometeu acabar com “uma década de guerras” e acentuou a necessidade de dar vazão à recuperação econômica nos próximos quatro anos.

De fato é na economia e na diplomacia que Obama enfrentará seus maiores desafios no seu próximo período à frente da presidência americana. Na diplomacia, os EUA terão que resolver o impasse com o Irã, retomar as negociações interrompidas desde 2009 com a Palestina, concluir a retirada do Afeganistão. Na economia, além de encaminhar as disputas comerciais com a China e lidar com a crise na União Europeia, sua maior parceira comercial, Obama precisa aprovar no Congresso a elevação do teto da dívida. Não é pouca coisa. Em um país que hoje envia 48 milhões de cheques mensais de auxílio alimentação (food stamp), minorias e maioria precisarão mais do que palavras para ter de volta uma nação rica e democrática como outrora.

Ed.110

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…