Varejo enfrenta nova realidade

Por Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

O volume de vendas no varejo registrou, em outubro, o oitavo mês consecutivo de alta na série com ajuste sazonal. O crescimento de 0,2% em relação a setembro manteve a trajetória de expansão. Por outro lado, este foi o menor crescimento desde março de 2013. Quando comparado com outubro de 2012, as vendas tiveram incremento de 5,3%, acumulando neste ano expansão de 4% frente a igual período de 2012. Em doze meses encerrados em outubro, o setor apresenta crescimento de 4,5%.

O setor de varejo como um todo apresenta, em 2013, um arrefecimento no ritmo de crescimento. A menor dinâmica da economia brasileira irá impor uma readequação do setor a taxas de crescimento inferiores. Neste sentido, surgem como principais impactantes o elevado comprometimento da renda das famílias e a moderação das concessões de crédito. Embora a inadimplência permaneça em queda, já é observado um aumento de juros na ponta, com o repasse do aperto na SELIC por toda a cadeia e a perspectiva de que esse ciclo de aumento deva perdurar no horizonte próximo. O crescimento real na faixa de 4% ao ano tende a ser o novo benchmark do setor. O que não é necessariamente negativo. Devemos esperar por um Natal com crescimento das vendas da ordem de 5% em relação ao ano passado. Embora seja um ritmo inferior ao dos últimos anos, ainda assim é um bom resultado para fechar o ano.

Ed.332

Comentários

comentários