Confira as dez dicas da Boa Vista SCPC para começar o ano sem dívidas

O país passa por um período de recessão econômica, com inflação na casa dos dois dígitos, alta dos juros, aumento da taxa de desemprego e diminuição da renda. E neste cenário instável, o consumidor deve redobrar a atenção para não ser prejudicado financeiramente. Um dos indicadores que apontam a necessidade desta cautela é o de inadimplência. A expectativa da Boa Vista SCPC é de que em 2016 esse indicador atinja a marca dos 6,5%.

Para não integrar esse percentual, a Boa Vista SCPC aconselha o consumidor a olhar com mais atenção o seu orçamento doméstico e a evitar dívidas que comprometam seu equilíbrio financeiro. E para ajudar o consumidor, lista dez dicas que podem contribuir para um início de ano mais controlado, sem dívidas desnecessárias:

  • Faça o planejamento do orçamento pessoal e familiar: esse é o mandamento número um do consumidor. Para que a saúde financeira esteja sempre em dia, o consumidor deve planejar e acompanhar diariamente esse planejamento. Colocar na ponta do lápis todos os recebimentos e gastos previstos para o ano, e pelo menos uma vez por semana fazer o acompanhamento e a atualização.
  • Pague à vista quando for vantajoso: algumas contas quando pagas à vista recebem descontos vantajosos. Tendo dinheiro disponível pode significar em uma boa economia.
  • Parcele apenas o que cabe no bolso: uma dica é parcelar as despesas de início de ano que não incidem juros altos, como IPTU, IPVA e seguros. Não se esqueça de incluir esse parcelamento no planejamento anual.
  • Uso de reservas: sobrou dinheiro do 13º salário? Use-o para quitar as dívidas de início de ano. Mas lembre-se de evitar novos endividamentos após quitar essas contas.
  • Poupe dinheiro: ter uma reserva de dinheiro guardada, para usar em um momento de maior necessidade, será muito útil para não descontrolar o orçamento financeiro. Se ainda não tem o hábito de poupar, comece guardando pequenas quantias todo o mês. Aos poucos, a rotina de reservar uma parte da renda mensal será automática.
  • Economize: em épocas de crise financeira, economizar é a melhor alternativa. Avalie todas as suas despesas e veja o que pode ser cortado ou mesmo reduzido, como por exemplo, economizar nas contas de consumo de energia elétrica, água, gás e telefone.
  • Negocie sempre: o brasileiro gosta de pechinchar, e esse hábito é muito saudável para as finanças. Quando comprar algo, negocie o preço, peça desconto. Comprando vários itens na mesma loja, o poder de negociação pode ser maior.
  • Pesquise os preços: outro hábito que ajuda muito a manter o equilíbrio das contas é pesquisar antes de comprar algo, principalmente bens de maior valor. A internet pode ser aliada nesse sentido, e há sites comparadores de preços. Para as compras de mercado, vale também obter os folhetos promocionais dos supermercados e comprar de forma mais intercalada, aproveitando os preços.
  • Cuidado com o cheque especial: pode ser uma opção tentadora para uma necessidade momentânea, mas todo o cuidado é importante, pois as taxas de juros são altíssimas. A dica é usar quando necessário, de forma moderada e num curto espaço de tempo, quitando rapidamente o valor total.
  • Use com responsabilidade o cartão de crédito: é um grande aliado para pagamento das compras e traz inúmeros benefícios aos consumidores quando usado com moderação e de forma responsável. Do contrário, pode ocorrer o descontrole financeiro, o que gera uma dívida exorbitante com juros altíssimos e consequente efeito “bola de neve” para as dívidas.

Nessa época do ano em que as lojas começam as liquidações e é possível encontrar bons produtos por preços interessantes, o consumidor precisa praticar o consumo com responsabilidade. Também é importante se atentar aos gastos com férias, viagens e lazer. Esses itens costumam gerar despesas extras ao orçamento e ocasionar desequilíbrios financeiros.

Com um bom planejamento do orçamento e atenção na hora das compras e do consumo, o consumidor tem tudo para começar o ano sem dívidas e manter o equilíbrio das contas em 2016. Mais informações sobre Educação Financeira e Orçamento Doméstico estão disponíveis no Portal Consumidor Positivo www.consumidorpositivo.com.br.

Comentários

comentários