Custo de vida em SP sobe 0,26% em setembro

SÃO PAULO – O custo de morar na capital paulista avançou 0,26% em setembro em relação ao mês anterior, segundo cálculo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) e pela e Ordem dos Economistas do Brasil (OEB). Os gastos que mais impactaram foram aqueles ligados a habitação e alimentação, com altas de 0,29% e 0,20%, respectivamente. Foram verificados, por exemplo, aumentos no aluguel e nos produtos utilizados na feijoada.

Segundo o levantamento, o Índice de Custo de Vida da Classe Média (ICVM) já acumula alta de 4,3% no ano. Gastos com aluguel subiram 0,52% em setembro, produtos de limpeza tiveram alta de 0,77% e conta de celular apresentou reajuste de 1,75%. Também apresentaram inflação os segmentos de transportes (0,08%), despesas pessoais (0,13%), vestuário (0,78%), saúde (0,66%) e educação (0,04%).

Entre os alimentos, os preços do filé mignon, da picanha e de carnes de aves apresentaram aumentos de 5,85%, 3,67% e 3,98%, respectivamente. Em setembro, quase todos os itens da feijoada ficaram mais caros – arroz subiu 2,87%; feijão, 3,73%; toucinho defumado apresentou elevação de 0,44%; a carne seca de 2,47% e a laranja ficou 0,76% mais cara. Apenas couve (-2,81%) e farofa (0,85%) apresentaram redução de preços. Na caipirinha, o preço da cachaça subiu 1,52%, o do açúcar, 2,37%, e o do limão, 20,98%.

Fonte: Estado

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 4,6% em maio

A demanda por crédito do consumidor subiu 4,6% em maio frente a abril, com o ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…