Recuperação de crédito do consumidor abre o ano com alta de 4,0%, diz Boa Vista SCPC

O indicador de recuperação de crédito do consumidor em todo o país – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplência – apontou elevação de 4,0% em janeiro de 2014, contra o mês anterior, após ajustes sazonais, de acordo com os dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O resultado inicia 2015 melhor do que em 2014, quando o indicador obteve queda de 0,6%, mantida a mesma base de comparação. Na comparação interanual (jan/15 contra jan/14) também houve alta, mais amena, de 0,3%. Já na comparação acumulada em 12 meses (fev/14 a jan/15 contra os 12 meses antecedentes) o indicador apresentou queda de 2,9%.

grafico-1

A expectativa de queda no indicador de recuperação de crédito anunciada ao final do ano de 2013 acabou se consolidando em 2014. Contudo, a despeito da piora esperada dos indicadores macroeconômicos, a Boa Vista SCPC estima que o indicador apresente melhora na comparação com o ano passado, devendo encerrar 2015 estável. Alguns fatores como o aumento do crédito – ainda que em menor magnitude – e a relativa estabilidade no mercado de trabalho contribuem para que o cenário da inadimplência não se deteriore. Ademais, tanto por parte do consumidor quanto por parte das empresas concedentes de crédito, tem se observado maior cautela nas transações, fator que influencia diminuições nos indicadores de inadimplência como, por exemplo, as quedas dos atrasos registrados no sistema financeiro, nos últimos meses.

Regiões

Na comparação mensal (jan/15 contra dez/14), houve queda no pagamento de dívidas nas regiões Norte e Nordeste, que variaram -2,7% e -0,5%, respectivamente. Dentre as regiões que apresentaram altas, o destaque ficou para a Sul, que obteve forte elevação em janeiro, de 6,5%. Já as regiões Centro-Oeste e Sudeste também obtiveram aumentos de 4,5% e 5,4%.

Varejo

O indicador que considera a recuperação de crédito no setor varejista registrou elevação de 5,1% na comparação mensal (jan/15 contra dez/14) dos dados dessazonalizados. Entre as regiões, o pagamento de dívidas cresceu nas seguintes configurações: Centro-Oeste (7,3%), Nordeste (6,8%), Sudeste (5,2%), Norte (4,4%) e Sul (0,5%).

grafico-2

 

Metodologia

O indicador de recuperação de crédito é elaborado a partir da quantidade de exclusões dos registros de dívidas vencidas e não pagas, informados à Boa Vista SCPC pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

A série histórica deste indicador inicia em 2005 e está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/recuperacao-de-credito/

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 4,0% no 1º trimestre, segundo Boa Vista SCPC

Dados nacionais da Boa Vista SCPC apontam que a Demanda por Crédito do Consumidor caiu 4,0% no 1º trimestre de 2017 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (abril de 2016 até março de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração de 9,3%,…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,29% em março, segundo Boa Vista SCPC

No mesmo mês do ano anterior, o percentual foi de 2,59% 20 de abril 2017 – O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,29% em março, registrando diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,59%. O que representa menos cheques…

Vendas para a Páscoa cresceram 2,2% em 2017, segundo Boa Vista SCPC

Dados da Boa Vista SCPC mostraram que em 2017 as vendas do comércio para a Páscoa cresceram 2,2% quando comparadas ao mesmo período do ano anterior. Em 2016 as vendas apresentaram queda de 5,8% e em 2015 a retração foi menos intensa (-0,3%). O resultado deste ano é o segundo negativo da série histórica, que…