Inadimplência do consumidor tem alta de 2,4% no ano, revela Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor brasileiro cresceu 2,4% no acumulado do ano (jan/14 a set/14), contra o mesmo período de 2013, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Entretanto, na comparação mensal (set/14 contra ago/14), a inadimplência caiu 4,0%, descontados os efeitos sazonais. No mesmo período de 2013 contra 2012, o indicador apontava queda de 0,9%.

Com este resultado, houve aumento de 2,1% da inadimplência no acumulado em 12 meses (out/13 a set/14) quando comparado ao período anterior (out/12 a set/13). Na comparação interanual (set/14 contra set/13) o indicador cresceu 1,3%.

O valor médio real das dívidas incluídas em setembro de 2014 foi de R$1.084,75, após ajustes estatísticos.

 

reg1

Ao longo do ano, observaram-se poucas oscilações das variáveis condicionantes para a inadimplência. Assim, a previsão é que a maior seletividade das empresas concedentes de crédito, o desaquecimento gradual do mercado de trabalho e as taxas juros mantenham até o final do ano esta mesma dinâmica da inadimplência. Desta maneira, a expectativa é de que o número de registros de consumidores inadimplentes feche 2014 com um leve crescimento, em torno de 2,5%.

Regiões

Na análise regional, o resultado acumulado no ano manteve tendência de desaceleração em todas as regiões, exceto no Centro-Oeste e Sul, que passaram de 6,9% e 7,0% para 7,3% e 7,5%, respectivamente. Já as regiões Nordeste, Norte e Sudeste registraram altas de 3,7%, 2,2% e 0,1%.

Retirados os efeitos sazonais, na avaliação mensal houve nova redução generalizada no indicador, tendo se destacado a região Nordeste, com queda de 6,0%. Nas demais regiões os resultados foram: -4,4% no Centro-Oeste e no Norte, -1,8% no Sul e -3,7% no Sudeste.

Varejo

Quando considerado apenas o setor de varejo, subconjunto do indicador geral, o indicador nacional registrou queda de 4,9% em setembro, em comparação ao mês anterior, após descontados os efeitos sazonais. Dentre as regiões, mantida a base de comparação, Norte, Sudeste e Centro-Oeste caíram 4,1%, 6,1% e 4,4%, respectivamente, enquanto Sul e Nordeste oscilaram -9,2% e +0,9%.

reg2

Metodologia

O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

 

A série histórica do indicador está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/registro-de-inadimplencia/

Comentários

comentários

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 0,7% no 1º semestre, segundo Boa Vista SCPC

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 0,7% no 1º semestre de 2017, em comparação ao 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, junho apresentou estabilidade nos dados, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (julho de 2016 até junho…

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…