Protestos de títulos recuam 14,7% em setembro, mas ficam estáveis no acumulado do ano

Protestos de títulos recuam 14,7% em setembro, mas ficam estáveis no acumulado do ano

No mês, o recuo protestos de empresas foi de 14,5% e de pessoas físicas de 15,0%

O número de títulos protestados caiu 14,7% em setembro na comparação com agosto deste ano, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas, o recuo foi de 14,5% e para as pessoas físicas de 15,0%, de acordo com dados nacionais da Boa Vista Serviços, administradora do SCPC.

No acumulado em 2013, o número total de títulos protestados ficou estável na comparação com o mesmo período do ano anterior. Houve queda de 3,1% para os títulos protestados de empresas e aumento de 5,8% para os títulos de pessoas físicas.

Na comparação contra setembro de 2012, os títulos protestados aumentaram 10,2% para as pessoas jurídicas e 36,2% para as pessoas físicas, registrando um acréscimo de 19,4% no total.

O valor médio dos títulos protestados para o mês foi de R$ 2.473. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.711 e R$ 2.983 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

Títulos protestados de empresas por regiões

Em agosto de 2013, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 60% do total dos protestos no país. A região sudeste continua a contribuir com a maior parcela dos títulos protestados (47,4%), seguida das regiões Sul (24,2%), Nordeste (14,0%), Centro-Oeste (9,4%) e Norte (5,0%).

No acumulado do ano contra o mesmo período do ano anterior, todas as regiões apresentaram recuo, com destaque para a redução de 5,4% da região Sul, contra uma média nacional de recuo de 3,1%.

Em relação a setembro de 2012, a região Norte foi a única que apresentou um decréscimo (-7,4). As demais regiões obtiveram crescimento, destacando a expressiva expansão de 20,0% na Centro-Oeste.

O maior valor médio dos títulos protestados em setembro foi na região Centro-Oeste (R$ 3.423), acima da média nacional para pessoa jurídica, que foi de R$ 2.983. A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.

 

Comentários

comentários