Títulos protestados acumulam queda de 3,3% no 1º quadrimestre de 2013

Na comparação mensal houve aumento de 4,3% no total dos protestos

São Paulo, 9 de maio de 2013 – Dados da Boa Vista Serviços mostram que o número de protestos de títulos recuou 3,3% no acumulado do 1º quadrimestre de 2013 contra o mesmo período do ano anterior. Entre os protestos de pessoa física, houve queda de 2,6% e para as empresas foi de 3,6%.

Na comparação contra abril de 2012, o aumento foi tanto para as pessoas físicas (12,9%) quanto para as pessoas jurídicas (8,1%), totalizando um crescimento de 9,9%.

Na comparação mensal, o número de protestos aumentou 4,3%, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas, a expansão foi de 3,5% e para as pessoas físicas de 5,8%.

O valor médio dos títulos protestados para o mês foi de R$ 2.476. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.739 e R$ 2.915 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra as variações citadas.

 

Tabela 1 – Variação Títulos   Protestados

Jan-Abr 2013/2012

Abr 2013/Abr 2012

Abr 2013/Mar 2013

Valor médio (R$)

Pessoa Física

-2,6%

12,9%

5,8%

1.739

Pessoa Jurídica

-3,6%

8,1%

3,5%

2.915

TOTAL

-3,3%

9,9%

4,3%

2.476

 

Fonte: Boa Vista Serviços

 

Títulos protestados de empresas – Regiões

Em abril de 2013, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 63% do total dos protestos no país. A região Sudeste continua a contribuir com a maior parcela dos títulos protestados (48,4%), seguida das regiões Sul (23,8%), Nordeste (14,4%), Centro-Oeste (8,4%) e Norte (5,0%).

No acumulado do 1º quadrimestre do ano contra o mesmo período do ano anterior, a região Sul lidera com a maior diminuição dos protestos de pessoa jurídica, com queda de 6,1%, contra uma média nacional de recuo de 3,6%.

Em relação a abril de 2012, o Sul foi a única região que apresentou redução (-0,5%), enquanto que a região Nordeste obteve o maior crescimento (21,4%).

Já na comparação mensal, os destaques foram as regiões Norte com a maior expansão (8,7%) e Centro-Oeste com o maior recuo (-5,9%).

O maior valor médio dos títulos protestados em abril foi na região Centro-Oeste (R$ 3.656), acima da média nacional (para pessoa jurídica, que foi de R$ 2.915). A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.

 

Tabela 2 –   Variações nos Protestos de Títulos PJ – Regiões

Região

Variação no   acumulado do ano

Variação sobre o   mesmo mês do ano anterior

Variação sobre o   mês anterior

Valor médio (R$)

Norte

-1,9%

7,6%

8,7%

3.493

Nordeste

1,9%

21,4%

-1,8%

2.938

Sul

-6,1%

-0,5%

2,2%

2.044

Sudeste

-4,3%

9,7%

7,2%

3.148

Centro-Oeste

-1,7%

5,6%

-5,9%

3.656

Brasil

-3,6%

8,1%

3,5%

2.915

Período

Jan-Abr 2013/2012

Abr 2013/Abr 2012

Abr 13/Mar 2013

Abr/13

 

Fonte: Boa Vista   Serviços

     

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,10% em abril, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 2,10% em abril, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve diminuição (em março o nível foi de 2,29%),…

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor cai 2,3% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 2,3% em abril com ajuste sazonal frente a março, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Já na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Movimento do Comércio cai 1,0% em abril, diz Boa Vista SCPC

Dados do varejo apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), apontam que o Movimento do Comércio caiu 1,0% em abril, considerando as informações mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (maio de 2016 até abril de 2017) houve queda de 3,4% frente aos 12 meses antecedentes. Já na…