73% dos brasileiros temem pela economia e o desemprego é o maior “fantasma”

A maioria dos consumidores (73%) avalia que a economia brasileira em 2016 está em pior situação do que no ano passado. Para 17% está igual e para 10% está melhor.

O desemprego é o que mais preocupa esses consumidores (57%), seguido da inflação (23%), da diminuição da renda (11%) e da redução das linhas de crédito (9%).

Na região Norte, a preocupação com o desemprego é ainda maior: 71% dos consumidores possuem esse temor. E nas classes D/E são 67% dos entrevistados que se preocupam com o desemprego.

  graf1

No entanto, quanto à sua própria situação financeira, os consumidores estão otimistas: 88% consideram que suas finanças pessoais em 2016 estarão melhor ou no mesmo nível do ano anterior. Para 12% as finanças estarão piores este ano.

As constatações são da Pesquisa Hábitos de Consumo – Dia Mundial do Consumidor 2016 realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em todo o Brasil, de 2 a 23 de fevereiro.

O desânimo com a atual situação da economia é maior no Sudeste, onde a fatia de pessimistas foi de 78%, em comparação a 74% no Centro-Oeste e também no Sul, 73% no Nordeste e 50% no Norte.

Na divisão por classe de renda, o levantamento da Boa Vista SCPC mostrou que a classe A/B é a mais pessimista com a economia brasileira, com fatia de 83%. Logo em seguida vêm as classes C e D/E, ambas com 74%.

As mulheres estão mais pessimistas com a situação do Brasil – 80% delas consideram que houve piora na economia este ano, contra 70% dos homens.

A visão dos consumidores é favorável em relação a suas contas pessoais. A pesquisa da Boa Vista SCPC revelou que 48% deles consideram que as contas estão equilibradas, embora uma fatia expressiva (42%) gastem mais do que recebem. O estudo mostrou também que 46% consideram-se “equilibrados” em relação a seus hábitos de consumo. Os consumidores que se consideram “muito econômicos” são os mais preocupados quanto a suas finanças pessoais: 56% deles consideram que suas contas estão em igual ou em pior situação do que estavam no ano passado. Já 90% dos “muito consumistas” avaliam que houve melhora em suas finanças.

graf2

Além disso, a Boa Vista SCPC verificou na pesquisa que o consumidor econômico é também o mais pessimista em relação à situação da economia brasileira. Uma fatia de 89% desse perfil de pesquisado espera um ano negativo para a economia, porcentagem que cai para 70% entre os “muito consumistas”.

Confira a Pesquisa Hábitos de Consumo – Dia Mundial do Consumidor 2016 na íntegra no endereço: http://www.boavistaservicos.com.br/wp-content/uploads/2016/03/resultados-pesquisa-dia-mundial-consumidor-2016-2.pdf

Nota metodológica

Os dados da pesquisa “Hábitos de Consumo – Dia Mundial do Consumidor 2016” foram obtidos por meio de um levantamento eletrônico realizado pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), de 02 a 23 de fevereiro de 2016, com 504 consumidores usuários do site Consumidor Positivo www.consumidorpositivo.com.br. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro de 4%, para mais ou para menos.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 4,6% em maio

A demanda por crédito do consumidor subiu 4,6% em maio frente a abril, com o ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve desaceleração da…

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…