Crise deve afetar a compra do presente para o Dia dos Pais

A crise econômica deve afetar a compra do presente para o Dia dos Pais, segundo pesquisa da Boa Vista SCPC. De acordo com o levantamento, realizado com quase 2 mil consumidores, entre os dias 10 e 25 de julho, a maioria dos consumidores (61%) não deve comprar o presente para comemorar a data. Em 2016, apenas 28% dos consumidores declaravam que a data passaria em branco.

 

Quando questionados sobre o motivo, 23% alegam falta de condição financeira, seguida do desemprego e da contenção de despesas (ambos com 18%), priorização de outros pagamentos ou gastos (17%), redução do salário/poder de compra (9%) e aumento dos preços/inflação (5%). Apenas 10% responderam que não comemoram a data. 

graf1

Entre os que vão comprar o presente dos pais, 66% pretendem gastar menos ou a mesma quantia (em 2016 eram 64%). Dos consumidores que pretendem gastar menos neste ano, 59% alegam a situação econômica do país, 17% a contenção de despesas, 15% a priorização de outros gastos, 7% a diminuição da renda e 2% outros motivos.

 

A pesquisa mostra que a grande maioria (70%) irá presentear com roupas, calçados, perfumes e acessórios, 8% celulares, 5% com itens de informática e eletrônicos, 5% com almoço, viagem ou entretenimento e outros 12% com bebidas, ferramentas e outros itens pessoais. Quando perguntado aos pais o que gostariam de ganhar, percebe-se uma contradição com o que irá ganhar: 30% gostariam de ganhar almoço, viagem ou entretenimento, 24% itens como roupa, calçados e perfumes, 20% celulares, 19% itens como bebidas, ferramentas e outros tipos de presentes, e 7% itens de informática e eletrônicos.


A escolha da lembrança para a data será feita levando em conta preço, promoção e desconto para 35% dos consumidores, seguidos de necessidade ou utilidade do presente (19%), desejo de quem irá receber (19%), atendimento (15%), marca ou qualidade (10%) e outros motivos (2%).

 

O valor médio que o consumidor deve gastar com o presente do Dia dos Pais será de R$ 166,46, uma variação positiva de 53% em relação ao valor médio registrado em 2016 (R$ 108,40). Para a grande maioria (85%) a compra do presente comprometerá menos de 25% da renda.

 

Metodologia

 

A sondagem buscou identificar os hábitos de compras dos consumidores para o Dia dos Pais, suas preferências, formas de pagamento e locais onde pretendem concentrar as compras. A Boa Vista SCPC utilizou metodologia quantitativa para realização da coleta das informações, por meio de pesquisa eletrônica, nacional, com 1.700 consumidores, no período de 10 a 25 de julho de 2017.


A pesquisa na íntegra está disponível clicando
aqui.


Comentários

comentários

Posts relacionados

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

Número de novas empresas cai 3,8% no 2º trimestre

No 2º trimestre de 2017 o número de novas empresas caiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Assim, o resultado configura a primeira queda para esse trimestre desde o início da série histórica (2003). Ainda assim, os valores acumulados no…

Vendas para o dia dos pais recuam 0,5% em 2017

As vendas do comércio para o dia dos pais diminuíram 0,5% em 2017 quando comparadas a 2016, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O recuo das vendas nesta data foi mais fraco do que o observado em 2016, quando o comércio retraiu 5,2% em relação ao mesmo período de…