De cada 10 PMEs, uma declara ter inadimplência superior a 10%, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

Uma em cada dez pequenas e médias empresas (PMEs) afirma ter “alta inadimplência”, com taxa acima de 10%, considerando atrasos de pagamento acima de 90 dias. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) com empresas desse porte, de várias regiões do Brasil, e que revelou também que 24% indicam uma inadimplência “de baixa a considerável”, entre 3% e 10%. E 34% delas consideram ter “baixa inadimplência” em seus negócios, inferior a 3%.

O levantamento da Boa Vista SCPC mostrou também que 24% das PMEs só fazem vendas à vista e 18% faz a maioria das vendas usando essa alternativa – mesma porcentagem dos que afirmam divide igualmente suas vendas entre à vista e a prazo. Já 32% disseram que faz a maioria das vendas a prazo, embora também use a modalidade “à vista”.

Na segmentação por setor, a pesquisa da Boa Vista SCPC revelou que as vendas exclusivamente à vista prevalecem em Serviços (33%) e no Comércio Varejista (22%) e por porte elas são mais comuns entre as microempresas (32%).  Quanto ao valor, prevalecem as vendas entre R$ 100 e R$ 500, tanto para consumidor final quanto para outras empresas.

Entre as formas de pagamento aceitas pelas empresas pesquisadas prevalece Dinheiro (75%), boleto ou depósito em conta (61%), Cartões em Geral (52%) e Cheques (50%). A soma é superior a 100% porque várias companhias aceitam mais de uma forma de pagamento.

O canal mais utilizado pelas PMEs é a venda direta pessoal (29%), seguida pelo telefone (23%) e pelos vendedores (18%). A internet, de acordo com a pesquisa da Boa Vista SCPC, é utilizada por 15% dessas companhias e apenas 8% optaram pelo e-commerce.

Segundo a pesquisa, a maioria (53%) das PMEs ainda tem gestão exclusivamente familiar, enquanto apenas 14% disseram ter gestão totalmente profissional e 20% adotam uma mescla (gestão familiar e profissional). Por setor, a família comanda os negócios principalmente no Comércio Varejista (63%) e no Comércio Atacadista (61%), contra 52% na Indústria e 45% em Serviços.

Nota metodológica

Os resultados decorrem de pesquisa qualitativa e quantitativa, realizada durante o segundo semestre de 2013, com um universo de 949 empresas, sediadas em São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Ceará, Pernambuco, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. O objetivo do estudo foi aprofundar o conhecimento sobre o mercado de PME quanto a perfil e comportamento em relação a crédito e negócios. A margem de erro do estudo que foi de 3% e o grau de confiança de 95%.

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…