Desemprego dispara como causa da inadimplência, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O desemprego disparou como principal motivo que levou o consumidor à inadimplência, segundo a Pesquisa Perfil do Inadimplente referente ao 4º trimestre de 2015, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

Pelo levantamento, 41% dos consumidores inadimplentes entrevistados declararam que o desemprego causou a inadimplência, o que representa um salto de 5 pontos percentuais em comparação ao 4º trimestre de 2014. O dado reflete a deterioração do mercado de trabalho observada ao longo do ano passado.

O levantamento da Boa Vista SCPC mostrou também queda na intenção dos consumidores em realizar novas compras, após quitarem as dívidas: apenas 21% pretendem fazer novas compras depois de saldar seus compromissos – redução de 11 pontos percentuais em comparação com o ano anterior. Segundo a pesquisa, 78% dos consumidores não pretendem realizar novas compras.

Depois do desemprego, o segundo motivo causador da inadimplência foi o descontrole financeiro, apontado por 23% dos entrevistados no levantamento da Boa Vista SCPC.

Gasto com alimentação, despesa no carnê e valor da dívida

A alimentação gerou a inadimplência para 18% dos entrevistados, seguido por aquisição de vestuário e calçados (18%) e pagamento de contas diversas (17%). A aquisição de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, que foi apontada como principal causa nos últimos trimestres, desta vez foi citado por 16% dos entrevistados.

A forma de pagamento mais utilizada na compra que gerou a inadimplência foi o carnê/boleto, com 34% das citações, seguida por cartão de crédito (28%), cheque (14%), empréstimo pessoal (12%), cartão da loja (7%) e cheque especial (5%).

Quanto ao valor das dívidas, 31% dos consumidores disseram que a soma das dívidas em atraso é de até R$ 500, enquanto 51% têm entre R$ 500,01 e R$ 5.000 e 18% devem acima de R$ 5.000.

32% estão muito endividados; preferência por parcelamento

Quando perguntados sobre o nível de endividamento, 36% dos entrevistados na pesquisa da Boa Vista SCPC se declararam pouco endividados, 32% muito endividados e 32% mais ou menos endividados.

A renda familiar dos consumidores está comprometida até 25% com o pagamento de dívidas para 46% dos entrevistados, de 25% a 50% para 30% dos consumidores, e acima de 50% de comprometimento para 24% dos pesquisados.

A maioria dos entrevistados (81%) declarou possuir condições de pagar as dívidas vencidas e que geraram a restrição, 11% têm condição de pagar parte da dívida e 8% não têm condições de pagar. Dos que vão pagar totalmente, 57% irão regularizar a dívida de forma parcelada, dos quais 67% irão regularizar nos próximos 30 dias.

Dívida menor, mas pessimismo cresce

O levantamento revelou também que 31% dos inadimplentes declararam que suas dívidas diminuíram, enquanto para 37% continuam iguais e para 32% pioraram, percentuais que mostram certa estabilidade em relação ao resultado do ano anterior.

Entretanto, em relação à percepção da renda versus gastos para os próximos 12 meses, 70% responderam que a situação melhorará, seguida por 18% que acreditam que estará tudo igual e 12% que esperam piorar. Esse pessimismo era presente apenas em 2% dos entrevistados no 4º trimestre de 2014.

Nota metodológica

A Pesquisa do Perfil do Inadimplente é realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Quantitativa, é aplicada trimestralmente em consumidores inadimplentes, que possuem alguma dívida vencida e não paga registrada no banco de dados da Boa Vista SCPC, que buscaram orientação no balcão de atendimento ao consumidor. As entrevistas foram realizadas presencialmente de 23 de novembro a 2 de dezembro de 2015, com 1.017 consumidores.

A pesquisa na íntegra está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/wp-content/uploads/2016/01/perfil-inadimplente-4otrim2015.pdf

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,5% em julho

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,5% em julho quando comparado a junho na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (agosto de 2016…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,90% em julho

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 1,90% em julho, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,31 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve alta frente ao mês anterior (em junho o…

PNAD: Rendimentos apresentam leve melhora no 2T17

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), os rendimentos reais dos trabalhadores apresentaram melhora em todas as regiões quando avaliadas os valores acumulados em 4 trimestres. A Região Nordeste registrou a primeira marcação positiva (1,6%), ao lado da região Sudeste (0,1%) e Centro Oeste (0,8%). Em relação ao mesmo período…