Transportadoras do modal rodoviário têm até 1º de agosto para começar a usar o CT-e

O Ministério da Fazenda está implantando gradualmente o projeto do Conhecimento do Transporte eletrônico (CT-e) e requer o uso de certificado digital válido

Os contribuintes não optantes pelo regime Simples Nacional, que prestam serviços de transporte de cargas rodoviário, terão de aderir, a partir de 1º de agosto, ao Conhecimento do Transporte eletrônico (CT-e), ou seja, a documentação apenas em formato eletrônico – o que requer o uso de certificado digital, como esclarece a Boa Vista Serviços. Esta adequação faz parte do projeto de implantação de um modelo nacional de documentos fiscais eletrônicos, em substituição à sistemática atual em papel.

Segundo informações do Ministério da Fazenda, o CT-e é um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de registrar, para fins fiscais, uma prestação de serviço de transporte de cargas realizada por qualquer modal (Rodoviário, Aéreo, Ferroviário, Aquaviário e Dutoviário). Sua validade jurídica é garantida pelo certificado digital do tipo e-CNPJ, bem como pela recepção e autorização de uso, pelo Fisco. Segundo Dorival Dourado, presidente da Boa Vista, o certificado digital é essencial porque garante validade jurídica às operações, dando segurança e autenticidade às informações prestadas.

Como a data de adequação ao CT-e para as empresas que se enquadram no modal rodoviário passa a valer a partir de 1º de agosto, é importante que os transportadores que ainda utilizam o modo tradicional se apressem para obter o certificado digital. Assim, evitam filas, atrasos na implantação e eliminam os riscos de multas. O CT-e tem validade em todos os estados do país, mas a empresa tem que se credenciar junto à Secretaria da Fazenda dos Estados em que possuir estabelecimentos e nos quais deseja emitir CT-e. As vantagens desta modernização incluem: redução de custos de papel e impressão do documento fiscal; incentivo ao uso de novas tecnologias; facilitação e simplificação da Escrituração Fiscal e contábil, entre outras.

Segundo Dourado, o e-CNPJ é um documento eletrônico que identifica a empresa no mundo virtual. Por isso é fundamental na emissão do CT-e. “O certificado digital oferece identificação segura na troca virtual de documentos, mensagens e dados. Seu uso proporciona, ainda, outros benefícios à sociedade como eliminação de papéis e impressões e redução de custos com deslocamentos”, recorda.

Já a partir de 1º de dezembro de 2013, também as empresas do modal rodoviário optantes pelo regime do Simples Nacional precisarão se adequar a esta nova realidade.

A aquisição de um certificado digital é simples e rápida e pode ser feita por meio do website www.boavistaservicos.com.br/certificadodigital ou pelo telefone 0800-701 78 87. Para as empresas que ainda não possuem certificado digital, ou àquelas que precisam renová-lo, a Boa Vista Certificação Digital disponibiliza 16 pontos de atendimento na capital paulista e soma no estado de São Paulo cerca de 100 endereços. Além de contar com novos pontos de atendimento em Belo Horizonte, Blumenau, Recife e Fortaleza. Encontre o mais próximo no website www.boavistaservicos.com.br/certificadodigital.

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito cai 1,1% no semestre

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 1,1% no 1º semestre do ano quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Na variação acumulada em 12 meses (julho de 2016 até junho de 2017)…