Vendas no varejo caem 0,5% em julho

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE hoje, o volume de vendas no Varejo restrito teve queda de 0,5% em julho na comparação mensal com ajuste sazonal. No acumulado em 12 meses o indicador cresceu 3,2%. Na relação contra o mesmo mês do ano anterior, houve queda de 1,0%. No acumulado do ano a evolução foi de 2,3% em relação a 2017.

Avaliando as séries na variação mensal (com ajuste sazonal), apenas três das oito atividades pesquisadas registraram crescimento. Os principais avanços ocorreram em Hipermercados e produtos alimentícios (1,7%) e Combustíveis e lubrificantes (0,4%). Das cinco quedas registradas em julho, as principais ocorreram em Móveis e eletrodomésticos (-4,8%), Outros artigos de uso pessoal (-2,5%) e Tecidos, vestuário e calçados (-1,0%).

O Comércio Varejista Ampliado passou de 6,7% em junho para 6,5% até julho na variação em 12 meses. Na comparação mensal (dados dessazonalizados) houve recuo de 0,4% em relação a junho, sendo puxado pelas quedas em Veículos, motos, partes e peças (-0,8%) e Material de Construção (-2,7%).Os últimos resultados demonstram que a recuperação do varejo vem perdendo força, retornando a um perfil semelhante ao do período de crise, com o comércio de bens de primeira necessidade registrando crescimento, enquanto setores como móveis, eletrodomésticos, vestuário e calçados já apresentam queda das vendas. A lenta recuperação do mercado de trabalho parece comprometer uma retomada mais vigorosa do consumo nestes setores, que neste ano não contam mais com o impulso da liberação dos recursos do FGTS.

Posts relacionados

Movimento do Comércio cresce 1,0% em janeiro

O Indicador do Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, avançou 1,0% em janeiro na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador subiu 1,3%. Já na variação contra janeiro do ano anterior o varejo cresceu…

Análise PMC: Black Friday antecipa vendas do Natal e varejo registra queda das vendas em dezembro

A queda da inadimplência das pessoas físicas – e, consequentemente, das taxas médias de juros ao consumidor – abriu espaço para o crescimento da oferta de crédito. Por outro lado, o elevado nível de desocupação e a fraca recuperação da renda – apesar da inflação baixa – ainda limitam a capacidade de endividamento e consumo…

Boa Vista: Recuperação de crédito cai 0,6% no acumulado em 12 meses

13 de fevereiro de 2019 – O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 0,6% no acumulado em 12 meses (fevereiro de 2018 até janeiro de 2019 frente os 12 meses antecedentes). Em janeiro o indicador…