BC vê "espuma" no câmbio, mas mira no aumento do combustível

 

Por Paulo Rabello de Castro e Fábio Silveira

Os termos “gordura” e “espuma” têm sido usados por diretores do BC para qualificar o nível do câmbio próximo a R$2.10, indicando que o BC atuará nessa faixa para conter o avanço da cotação. Ontem, a taxa fechou a R$2,078 por atuação do Banco. Está mais clara a preocupação do BC com a trajetória da inflação, não porque tema evolução descontrolada, e sim por desejo de conservar espaço para futuros rebaixamentos no juro básico, e com isso, empurrar o crescimento em 2013, meta prioritária do Planalto.

O câmbio sob controle ajudaria em várias frentes. Uma delas, no reajuste programado do preço dos combustíveis, para repor capacidade de investimento à Petrobras. Cálculos publicados hoje pela RC Consultores na mídia apontam defasagem de 11% na gasolina ao nível da refinaria. A diferença para menos já chegou a 27% em meados deste ano. A queda do preço do barril lá fora encurtou a distância até o equilíbrio. Ontem o barril veio a US$85,5 em NY, menor cotação em muitos meses, denotando oferta plena e demanda contida por recessões espalhadas em vários continentes. Ficou menos difícil para o governo acertar o aumento do preço interno em 2013.

Ed.87

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…