Brasil e Zona do Euro na contramão

Por Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

O crescimento da economia norte americana, que na estimativa preliminar já havia sido muito bom, se mostrou ainda melhor. O taxa de expansão do PIB no segundo trimestre em termos anuais foi revisado de 4% para 4,2%, contrariando a expectativa do mercado, que era de redução para 3,8%. Após ver a economia ser prejudicada no primeiro trimestre pelo inverno rigoroso, os EUA parecem ter entrado num ciclo virtuoso de crescimento, puxado principalmente pela indústria, cuja variação em 12 meses ultrapassa a faixa de 3,5% a.a. Já a economia da Zona do Euro estagnou no segundo trimestre, reacendendo a luz amarela.

Amanhã o IBGE divulgará o resultado do PIB brasileiro do segundo trimestre. O consenso geral do mercado é que a economia registrará queda do nível de atividade em relação ao trimestre anterior. A RC Consultores estima uma retração de cerca de 0,3% para o período. Em relação a igual trimestre do ano anterior, o PIB poderá registrar a primeira queda desde 2009. Efetivamente a atividade foi, em alguma medida, prejudicada pelo menor número de dias úteis devido à realização da Copa do Mundo. Cabe ressaltar, além disso, que os níveis de confiança há tempos não estavam tão baixos. Após a confiança do empresário industrial registrar o pior nível desde 2009, agora foi a vez do setor de serviços. O índice de confiança para o segmento, apurado pela FGV, atingiu 104 pontos em agosto, o menor nível desde abril de 2009. A expectativa é de um segundo semestre ligeiramente melhor para a indústria e comércio. No entanto, não serão suficientes para evitar mais um ano perdido para economia brasileira, com crescimento abaixo de 1%. Enquanto nos EUA a economia mostra dinamismo, o Brasil se aproxima do modesto desempenho europeu.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…