Brasil em recessão

Por Thiago Custodio Biscuola, da RC Consultores

O Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre de 2014 registrou forte queda de 0,6% na comparação com o trimestre exatamente anterior (série com ajuste sazonal). O resultado foi ainda pior do que a expectativa do mercado. Como já era esperado, a indústria foi a grande vilã, com queda de 1,5%. Surpreendendo negativamente, os serviços retraíram 0,5%. O segmento agropecuário, que vinha sendo o setor mais dinâmico, também perdeu fôlego, avançando apenas 0,2%. Em relação a igual trimestre de 2013, o PIB recuou 0,9%, fazendo com que a variação em quatro trimestres despencasse de 2,5% no primeiro trimestre para apenas 1,4%.

Devido a efeitos estáticos o resultado do primeiro trimestre, que já havia sido fraco, passou de um ligeiro avanço de 0,2% para um recuo de 0,1%. Com isso fica caracterizada a recessão técnica, que ocorre quando há retração da economia em pelo menos dois trimestres consecutivos. Fato que não ocorria deste o estouro da bolha ao final de 2008. Espera-se por uma melhora modesta da economia neste segundo semestre, que deverá se beneficiar de uma base estatística deprimida. O cenário econômico em 2014, que já se revelava adverso, se deteriorou, agravando ainda mais os desafios da Agenda 2015.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…