Carga tributária brasileira é maior do que a média da OCDE

Por Thiago Custódio Biscuola, da RC Consultores

A arrecadação de impostos tem crescido em toda a América Latina. Segundo o estudo divulgado ontem pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), “Relatório de Estatísticas Tributárias na América Latina 2014”, a arrecadação média dos 18 países pesquisados passou de 13,9% do PIB em 1990 para 20,7% em 2012. Ainda assim permanece bastante abaixo da média dos países membros da OCDE, que é de 34,6% do PIB. Apenas Argentina e Brasil, líderes de arrecadação, ultrapassam esta faixa. Em 2012 a arrecadação argentina alcançou 37,3%, enquanto a do Brasil ficou em 36,3%.

O problema brasileiro é crônico. O crescimento das despesas correntes acima do PIB gera uma necessidade permanente de aumentar a arrecadação. Até novembro de 2013, segundo dados divulgados pelo Tesouro Nacional, as despesas primárias totais do Governo Central cresceram 14,1% em relação a igual período de 2012. O PIB nominal, por seu turno, avançou 9,2%. Mesmo com as desonerações pontuais, dados preliminares do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) indicam que a carga tributária voltou a subir em 2013, alcançando 36,42% do PIB. A competitividade da economia brasileira, sobretudo da indústria, continuará sendo onerada por esse ciclo. Até o agronegócio, que nos últimos anos tem sustentado o crescimento do PIB, tem perdido competitividade. Sem uma reforma que simplifique e diminua a elevada carga tributária, o Brasil dificilmente será um player mundial competitivo.

Ed.349

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…